rã-touro: biOLOGIA

 

A rã-touro é uma espécie que atinge um grande tamanho corporal. Os girinos podem passar dos 15 cm de comprimento, apresentam coloração verde-oliva, com pontos escuros no dorso. Os adultos podem medir mais que 20 cm.

Os adultos são encontrados principalmente em corpos d’água lênticos de longa duração, como poças profundas e açudes, e nas suas proximidades. Os juvenis costumam dispersar e podem ser encontrados também em pequenas poças, próximos a riachos e cruzando estradas. É possível diferenciar machos e fêmeas adultos através do tímpano que tem o diâmetro maior que o do olho e apresenta as bordas escurecidas nos machos. Os machos também apresentam o papo amarelado.


A rã-touro apresenta uma dieta ampla, alimentando-se desde pequenos invertebrados até aves e mamíferos (veja nos vídeos). Outros anfíbios são frequentes na dieta dessa espécie. Muitos estudos indicam que a espécie causa o declínio de outras populações de anfíbios através da predação. Dentre as presas conhecidas: sanguessugas, insetos e outros artrópodes, peixes, lesmas, salamandras, girinos, pequenos crocodilos, pequenas tartarugas, serpentes, morcegos, ratos, pássaros.


O período reprodutivo da espécie é bastante variável. Pode durar poucos meses nas regiões mais frias da distribuição, e ser prolongado em menores latitudes. A vocalização (vídeos) dos machos nas áreas nativas parece iniciar com o aumento da temperatura e aquecimento da água, quando a última atinge temperaturas iguais ou superiores à 14οC. Os amplexos ocorrem na água, e os ovos são depositados em um filme gelatinoso na superfície. As desovas podem conter entre 1000 e 25000 ovos.

Acima, à direita uma desova de rã-touro fotografada no campo. Abaixo, girinos da espécie em diferentes estágios de desenvolvimento.

Note o tamanho e a borda escurecida do tímpano e o papo amarelo do macho (esquerda). A fêmea (direita) não apresenta essas características.