Como posso abordar esse tema com meus alunos?

Temas, conceitos e objetivos de aprendizagem

Os cartazes da série "Está no DNA?" podem ser utilizados nas aulas de Biologia para engajar os alunos nos estudos sobre os seguintes conceitos fundamentais:

  • Unidade e Diversidade: Como uma diversidade de características humanas pode ser gerada a partir de um mesmo sistema de determinação?
  • Continuidade da Vida: A transmissão dessas características para as gerações seguintes garante semelhanças ao longo das gerações, mas como surge a diversidade?
  • Mudanças ao longo do Tempo: Se possuímos os mesmos genes, como podemos apresentar diferentes características?

Para desenvolver esses conceitos fundamentais, os professores podem se valer dos seguintes temas de estudo:

  • Qualidade de vida das populações humanas;
  • Transmissão da vida e mecanismos de variabilidade genética;
  • A receita da vida e o seu código – tecnologias de manipulação do DNA;
  • Origem e evolução da vida.

As possibilidades de utilização desse material parecem, contudo, mais frutíferas se forem utilizadas no desenvolvimento das seguintes habilidades dos estudantes do Ensino Médio:

  • Identificar e diferenciar as características genéticas, hereditárias, congênitas e adquiridas;
  • Interpretar dados apresentados em esquemas, tabelas e gráficos a partir de conhecimentos sistematizados sobre transmissão das características hereditárias;
  • Conceituar gene, alelo, genótipo e fenótipo;
  • Reconhecer a existência de um código genético universal, por meio do qual a sequência de bases do DNA é traduzida em uma sequência de aminoácidos na proteína;
  • Identificar os mecanismos geradores (mutação e recombinação) e os fatores orientadores (seleção natural) da grande variabilidade dos seres vivos;

Conversando sobre os cartazes

Antes de iniciar os estudos referentes a esses objetivos de aprendizagem, os professores podem afixar os três cartazes pelos corredores da escola. Depois de alguns dias, o professor pode perguntar se os alunos viram os cartazes e, em caso negativo, estimulá-los a procurar por eles pelas paredes da escola.

Na aula seguinte, os professores podem solicitar a opinião dos alunos sobre os cartazes:

  • Vocês encontraram os cartazes espalhados pela escola com o título "Está no DNA?"?
  • Sobre quais características eles perguntavam?
  • O que vocês responderiam a essa questão?
  • Será que o humor de uma pessoa pode ser determinado pelo DNA? Se ela gosta de um tipo de música ou tem facilidade para dançar, isso se deve ao DNA que ela recebeu de seus pais?
  • Podemos passar o que aprendemos para os nossos filhos pelo DNA?
  • Como sabemos quais características são determinadas pelo nosso DNA?

A partir dessas questões, o professor pode iniciar com seus alunos os estudos sobre o conteúdo desejado.

Análise e produção de cartazes

O professor pode solicitar aos alunos que analisem os cartazes e, a partir dessa análise, descrevam seus elementos comuns, ou seja, os elementos que aparecem em todos os cartazes. Por exemplo, todos os cartazes possuem o mesmo título. Todos os cartazes apresentam a fotografia que faz referência a uma característica humana. Depois dessa análise, o professor pode solicitar que os alunos elaborem um cartaz sobre uma outra característica dos seres humanos nesse mesmo formato, ou seja, apresentando os mesmos elementos listados anteriormente. Além do cartaz, os alunos podem produzir um texto similar ao do website explicando os dados obtidos sobre a determinação da característica escolhida. Na imprensa, é possível encontrar alguns conteúdos sobre: cor do olho, obesidade, cor e tipo de cabelo, depressão, dependência química, autismo etc.

Construção de argumentos

A partir de algumas informações disponíveis no próprio website da exposição, os alunos podem julgar afirmações sobre a determinação genética das características. Organizados em trios ou quartetos, eles podem analisar os dados apresentados a seguir e avaliar a correção de algumas afirmações.

  1. O tipo sanguíneo parece ter influência ambiental, uma vez que a concordância em gêmeos dizigóticos é baixa.

  2. O hábito de beber café não parece ter influência genética, já que apresenta o mesmo grau de concordância nos dois tipos de gêmeos.

  3. O hábito de fumar parece ser influenciado por fatores genéticos, pois apresenta uma diferença elevada entre a concordância de monozigóticos e a de dizigóticos.

  4. A esquizofrenia não apresenta influência genética, uma vez que a concordância entre os gêmeos monozigóticos não é de 100%.

Interpretação do texto

Após a leitura do texto "Comparando gêmeas", publicado pelo biólogo Fernando Reinach no jornal O Estado de S. Paulo no dia 7 de setembro de 2005, os alunos podem responder, em duplas, às questões apresentadas a seguir.

  1. Qual é a principal ideia do texto?

  2. Apenas pela leitura do texto, o que deve significar a palavra "inexorável"?

  3. Qual é a conclusão que os dados apresentados no texto permitem defender?

  4. A partir das informações do texto, avalie se as afirmações a seguir são verdadeiras ou falsas:

  5. a-) Gêmeos monozigóticos são formados a partir de um mesmo espermatozoide.

    b-) Gêmeos dizigóticos são formados a partir de um mesmo espermatozoide.

    c-)Todas as características dos seres vivos são determinadas apenas pelos genes.

    d-) Se o estudo fosse feito com a característica “time de futebol”, o resultado seria igual entre gêmeos monozigóticos e os dizigóticos.

    e-) O número de irmãs heterossexuais é relativamente maior entre as monozigóticas.

Você pode baixar aqui os cartazes para imprimir.