Cronograma

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta
08h30 às 12h00
Abertura

(9h-12h)

OF01
A02
A04
A02
OF03
C12
OF04
MC11
MC05
MC12
MC15
MC19
MC23
MC21
MC24
P01
Encerramento (12h-13h30)
_
13h30 às 17h30
C01
Exposição acadêmica
C03
Mesa redonda
C11
MC01
C14
MC13
C17
MC22
OF07
C05
P03
C07
MC06
A01
A04
A01
MC10
MC14
_
18h30 às 22h30
C04
OF02
C08
OF08
C15
C16
MC07
A03
A03

Atividades de Divulgação Científica

Atividades sem necessidade de inscrição online, com caráter de divulgação científica, ministradas por alunos de graduação do Instituto de Biociências (IB-USP), pertencente à entidades de extensão acadêmica.

Ministrante: Coletivo BioDiversidade

Oferecimento: Quarta e Sexta-feira, das 14h00 às 16h00


Resumo não disponível.

Ministrante: CAMBIO Site

Oferecimento: Terça e Quinta-feira, das 11h00 às 12h00


A oficina “O Espaço da Decomposição” será uma atividade para repensarmos “de onde vem e para onde vai o nosso alimento/resíduo orgânico?” e “como podemos cooperar com esses processos?”. Para isso, a atividade será dividida em três etapas. A primeira etapa tem como estratégia fomentar um debate sobre a Importância da Decomposição, desde quantidade de resíduos orgânicos produzidos pela população e o ciclo de produção e destinação de alimentos/resíduos orgânicos à processos e importância da decomposição, onde também serão apresentados os organismos participantes do processo de decomposição, com o uso de imagens e vidrarias contendo organismos vivos. A segunda etapa contará com a montagem de um sistema de compostagem para ser feito em casa. E por último, uma saída de campo ao Jardim do Instituto de Biociências para conhecer a composteira da Biologia USP.

Ministrante: Felipe B. Simões, Leonardo Carvalheira, Lucas Andrade, Jefferson Silva, Luan M. Motta, Marcelo Sato, Marco Farias e Rafael Arnoni. Canal "Dispersciência" Podcast "Alô, Ciência?"

Oferecimento: Quarta e Quinta-feira, das 19h às 20h


A divulgação científica é obrigação de todo cientista, mas raramente é colocada em prática. A população não vê importância na ciência que ela mesma financia. Assim, surgem problemas diversos: corte de verbas, aumento de negacionistas científicos e muita desinformação. Será que podemos fazer algo para mudar esse cenário? Vem com a gente fazer divulgação na prática e ajudar a transformar a cultura da ciência! Utilizando arquivos de vídeo, áudio e texto você vai produzir materiais de divulgação científica a partir de perguntas simples como “A Terra é plana?” e “Quem veio primeiro, o ovo ou a galinha?”. Você terá oportunidade de fazer e discutir junto com a galera dos canais “Alô, Ciência?” e “Dispersciência”, além de formular conteúdo científico à toda sociedade!

Ministrante: Time iGEM-USP 2017 Site

Oferecimento: Quarta, das 08h30 às 12h, e Quinta-feira, das 13h30 às 17h30


BioMech é um jogo de cartas onde, através de diferentes objetivos e estratégias de jogo, os jogadores vão simular a "construção de um organismo para fazer algo"! Nele os jogadores irão construir plasmídeos (Não precisam ter medo se não souberem o que significa essa palavra) , usando BioBricks, partes de DNA, que irão desempenhar diferentes funções nesse construto plasmidial. A cada rodada do jogo um novo plasmídeo será construído e o ganhador será aquele que construir o melhor plasmídeo para um cenário aleatório definido no início daquela rodada. Quem ganhar mais rodadas vence o jogo!

Cursos

Ministrante: Guilherme Peniche Lattes

Oferecimento: Segunda, Terça e Quarta-feira, das 13h30 as 17h30


Para esse curso, introduziremos os seguintes assuntos: 1 - Histórico da fitoterapia dentro e fora do Brasil 2 - Diferentes usos para fitoterápicos 3 - Polêmicas envolvendo o uso dos fitoterápicos 4 - Fitoterapia e biopirataria

Ministrante: Patricia Jacqueline Thyssen Lattes

Ministrante: Natane de Cássia Sibon Purgato Lattes

Ministrante: Vinícius da Costa Silva Lattes

Oferecimento: Segunda, Terça e Quarta-feira, das 13h30 ao 17h30


Discussão do conceito de Entomologia Forense, aplicações e importância; princípios básicos de coleta, montagem, conservação e preservação de insetos adultos e imaturos; manutenção de insetos imaturos em laboratório; dietas artificiais para sobrevivência e para postura de insetos em laboratório; identificação de insetos adultos e imaturos; como utilizar chaves taxonômicas para a identificação de insetos imaturos e adultos; a importância da correta identificação; breve introdução ao ciclo biológico dos insetos de maior importância forense; conceito de decomposição e suas classificações; conceito de sucessão ecológica e competição; que tipos de dados devem ser obtidos durante uma investigação criminal. Aplicação do aprendizado em áreas da pesquisa, da saúde e legal.

Ministrante: Aline Marcele Ghilardi Lattes

Oferecimento: Segunda, terça e quarta, das 18h30 às 22h30


Um curso básico sobre a paleobiologia de dinossauros não-avianos. Serão abordados aspectos elementares de sua anatomia, fisiologia, ecologia e comportamento, além de apresentado o que se conhece até o momento sobre a sua origem, evolução e extinção.

Ministrante: Elisa Mitiko Kawamoto Iwashe Lattes

Ministrante: Ana Maria Marques Orellana Lattes

Oferecimento: Quarta, quinta e sexta-feira, das 13h30 ao 17h30


A porcentagem da população mundial com mais de 60 anos de idade está crescendo cada vez mais. Associado ao envelhecimento da população, tem aumentado o aparecimento de pessoas com algum distúrbio neurodegenerativo, como por exemplo, doenças de Alzheimer, Parkinson. Pesquisadores tem relatado que o envelhecimento e a neurodegeneração podem compartilhar mecanismos básicos e que algumas vezes torna-se difícil discriminar os limites entre os dois processos. Além da idade e a genética como importantes fatores de risco para a neurodegeneração, tem sido demonstrado que o estilo de vida das pessoas, como sedentarismo ou prática de exercício físico regular, consumo de dietas com baixo ou alto teor calórico, podem influenciar os processos de envelhecimento e a neurodegeneração. Este curso terá como objetivo abordar algumas doenças neurodegenerativas como: doença de Alzheimer, doença de Parkinson, doença de Huntington e doença priônica, tanto do ponto de vista fisiopatológico como terapêutico e, este último, tanto estratégias farmacológicas como não-farmacológicas.

Ministrante: Ana Paula S. Queiroz (Presidente da AESAS - Associação Brasileira de Consultorias em Meio Ambiente e Engenharia Ambiental) Lattes

Oferecimento: Quarta, Quinta e Sexta-feira, das 13h30 às 17h30


Serão abordados os seguintes temas: O Mercado de consultoria ambiental no Brasil; As atividades de consultoria ambiental mais comumente prestadas; As áreas de consultoria ambiental onde o Biólogo pode atuar; As especializações necessárias para atuação no mercado de consultoria ambiental; Como iniciar o trabalho em consultoria ambiental autônoma ou como estagiário/funcionário de uma empresa.

Ministrante: Paulo Sergio T. Alves (Academia de Polícia - IML)

Ministrante: Sergio Jose Z. Nunes (Academia de Polícia - IML) Lattes

Ministrante: Victor Alexandre P. Gianvecchio (Academia de Polícia - IML) Lattes

Ministrante: Marcio Hideki Matsubara (Academia de Polícia - IML) Lattes

Oferecimento: Segunda, terça e quarta-feira, das 18h30 às 22h30


A atividade será ministrada por três docentes da Academia de Polícia, que percorrerão áreas mais gerais: introdução à Medicina Legal, Traumatologia forense (inclui toda parte geral da perícia de vivos e cadáveres) e Tanatologia (estudo da morte e sua perícia). Ocorrerá imersão nas áreas em que os professores são especialistas e diretores no IML (Radiologia, Toxicologia e Antropologia forenses). Haverá alguns casos para estudo em sala e apresentação de novas tecnologias dessa área médica.

Ministrante: Renato Chaves de Macedo Rego (IB-USP)


O resumo anteriormente publicado foi redigido pela Comissão Organizadora e não pelo ministrante do curso, que requereu remoção do resumo publicado.

Ministrante: Diego Bitencourt Mañas (IB - USP) Lattes

Ministrante: Rui Sérgio Sereni Murrieta (IB - USP) Lattes

Ministrante: Helbert Prado Medeiros (IB - USP) Lattes

Oferecimento: Segunda, terça e quarta-feira, das 13h30 às 17h30


A Etnoecologia é um programa interdisciplinar que se utiliza de teorias e métodos tanto das ciências naturais quanto das ciências humanas. O campo etnoecológico dirige-se à compreensão da relação entre a espécie humana e seu meio ambiente - dando especial ênfase aos conhecimentos ecológicos locais gerados no bojo dessa relação. Para tanto, aspectos físicos, biológicos e ecológicos de uma dada paisagem são abordados à luz de sua relevância para a ecologia humana e os regimes etnoecológicos de conhecimento em um dado contexto ambiental local. Pretende-se com este curso oferecer um panorama amplo da Etnoecologia, envolvendo suas bases teórico-metodológicas e principais temáticas de pesquisa.

Ministrante: Karina Pagnez(FE-USP) Lattes

Oferecimento: Terça, quarta e quinta-feira, das 08h00 - 12h00


Neste curso serão discutidas questões pertinentes à educação especial inclusiva, com destaque para a educação de surdos. Partindo de fundamentos e conceitos, passando pelas legislações mais recentes e chegando a uma discussão sobre os impactos nas práticas pedagógicas com a chegada de alunos surdos em sala de aula. Faremos uma introdução à Libras ensinando alguns sinais importantes e buscando despertar o interesse dos estudantes para este aprendizado.

Ministrante: Tatiana Barbarini(UNIFESP) Lattes

Oferecimento: Segunda, terça e quarta-feira, das 13h30 - 17h30


Este curso de curta duração (16 horas) tem como objetivo apresentar um debate antropológico-sociológico acerca da complexa rede de relações que se forma em torno do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) infantil. A quinta edição do Manual diagnóstico e estatístico dos transtornos mentais (DSM-V) define o TDAH como um transtorno do neurodesenvolvimento que afeta pessoas de diferentes faixas etárias, mas que apresenta seus primeiros sinais até os doze anos de idade. Em princípio, o TDAH corresponde a uma condição marcadamente neurobiológica, com aspectos culturais e sociais secundários. No entanto, é necessário levantar algumas questões: os aspectos socioculturais que perpassam o TDAH são realmente secundários? A definição do normal e do patológico é elaborada exclusivamente com base em preceitos técnico-científicos? Existe uma possibilidade de deshierarquizar as relações estabelecidas entre ciências biológicas e ciências sociais, ou ainda entre especialistas e leigos, que caracterizam o campo do TDAH?

Ministrante: Alvaro Esteves Migotto (CEBIMar - USP) Lattes

Oferecimento: Segunda, Terça e Quarta-feira, das 18h30 às 22h30


Resumo não disponível.

Ministrante: Tito Monteiro da Cruz Lotufo (IO - USP) Lattes

Ministrante: June Ferraz Dias (IO - USP) Lattes

Ministrante: Maurício Shimabukuro (IO - USP) Lattes

Oferecimento: Terça, Quarta e Quinta-feira, das 18h30 às 22h30


O curso será dividido em 3 partes, cada uma dada de acordo com um especialista, sendo o primeiro dia focado em ecossistemas costeiros/recifais, o segundo em ecossistemas pelágicos e o terceiro em ecossistemas de mar profundo.

Será apresentado um panorama geral dos principais ecossistemas costeiros do planeta. Serão abordados aspectos dos principais componentes das comunidades presentes, características do habitats costeiros e sua distribuição no mundo. Os processos mais relevantes para o funcionamento e os padrões de distribuição da biodiversidade dos ambientes recifais no mundo serão brevemente apresentados. Serão discutidos alguns dos principais métodos de investigação científica em ambientes costeiros. Finalmente, serão consideradas as principais ameaças à aos ecossistemas costeiros e recifais e quais a possíveis soluções para a conservação dos biomas.

Terá como foco principal os desafios que os organismos enfrentam para a vida no pelagial marinho. Tratará: -da descrição das variáveis ambientais abióticas que atuam nos organismos; -das respostas morfológicas, fisiológicas e etológicas para a vida pelágica; -das técnicas e métodos de estudo do pelagial; -das principais espécies de importância econômica e das espécies potencialmente importantes; -das principais ameaças; -de curiosidades sobre os organismos.

O mar profundo é o maior bioma do Planeta Terra com características peculiares que tornam este um ambiente único no mundo. Embora pareça ser um ambiente uniforme o mar profundo abriga uma imensa variedade de características geomorfológicas e ambientais. Por este motivo, diferentes habitat podem ser encontrados entre a quebra de plataforma continental até as regiões mais profundas do oceano. Este curso irá abordar os principais fatores ambientais que modulam a distribuição da fauna e a diversidade, apresentando os principais habitat de mar profundo.

Ministrante: Marco Antonio Rada Garcia (IB-USP) Lattes

Ministrante: Taran Grant (IB-USP) Lattes

Ministrante: Jimmy Cabra (IB-USP) Lattes

Oferecimento: Segunda, Terça e Quarta-feira, das 13h30-17h30


Resumo não disponível.

Minicursos

Ministrante: Marcio Martins (IB-USP) Lattes

Oferecimento: Quinta e sexta-feira, das 13h30 às 17h30


Serão apresentados e discutidos criticamente diferentes métodos utilizados para a criação de listas vermelhas de espécies ameaçadas de extinção. O método da IUCN será descrito em detalhes e os alunos farão um exercício no qual avaliarão o risco de extinção de espécies brasileiras de vertebrados, simulando uma oficina de avaliação nos moldes daquelas realizadas pelo ICMBio para a criação da lista vermelha brasileira. Ao final serão discutidos os resultados e as dificuldades encontradas.

Ministrante: Silvia de Mattos Gasparian Colello (FE-USP) Lattes

Oferecimento: Quinta e sexta-feira, das 08h00 às 12h00


Partindo do princípio de que a prática pedagógica é tributária de concepções sobre a realidade, o ser humano e a educação, o objetivo do curso é situar os fios epistemológicos que regem essas relações em diferentes modelos de ensino: empirismo, inatismo e interacionismo. Com base nesse último paradigma, a compreensão dos processos cognitivos é o melhor aval para se repensar o papel do professor e os desafios da prática pedagógica socioconstrutivista. Afinal, como aproximar ensino e aprendizagem?

Ministrante: Ana Carolina Inhasz Kiss (UNESP) Lattes

Oferecimento: Segunda e terça-feira, das 13h30 às 17h30


Ao longo do minicurso iremos abordar como os hormônios regulam o comportamento reprodutivo em mamíferos, desde o comportamento sexual até o cuidado com a prole.

Ministrante: Carla Goldman (IF -USP ) Lattes

Oferecimento: Quarta e quinta-feira, das 18h30 às 22h30


Os sistemas de interesse no âmbito da Biofisica são inúmeros e versam sobre questões muito distintas, guiadas muitas vezes pelas diversas escalas de tamanhos e de tempos envolvidas. Escolhemos discutir dois exemplos que ilustram estas diferenças de escalas e sugerem as questões sobre a evolução temporal (ou dinâmica) pertinentes em cada caso: (a) escalas microscópicas: o transporte de partículas nas células os motores moleculares; (b) escalas macroscópicas: dinâmicas ecológica e evolucionária acopladas pela Teoria dos Jogos.

Ministrante: Marina Côrtes (UNESP- Rio Claro) Lattes

Oferecimento: Segunda e terça, das 13h30 - 17h30


As populações de muitas espécies tem sofrido declínios devido aos efeitos diretos e indiretos das atividades humanas. Os riscos de extinção são maiores em populações reduzidas por serem mais suscetíveis a fatores demográficos, genéticos e ambientais. Nesse minicurso abordaremos os conceitos e processos genéticos relacionados aos efeitos da redução do tamanho populacional. Faremos uma introdução sobre as ferramentas moleculares e analíticas de avaliação e, por fim, discutiremos sobre a importância da genética da conservação e manutenção do tamanho populacional para a conservação de populações e diversidade genética.

Ministrante: Helena Truksa Lattes

Oferecimento: Terça e quarta-feira, das 08h30 às 12h00


Humanos e cães convivem, em níveis variados, há milhares de anos. Atualmente, os cães são considerados membros da família e muitas vezes tratados como filhos. Mas como tudo isso começou? E o que de fato é um cão? Como se comunicam e se comportam? Este curso é uma viagem pelo universo canino, que visa melhorar a relação com estes fantásticos animais utilizando conceitos científicos modernos de etologia e bem-estar animal.

Ministrante: Pedro Alexandre Favoretto Galante (Hospital Sírio-Libanês) Lattes

Ministrante: Paula Cristina Gasperazzo Turrini (Laboratório GaTE) Lattes

Oferecimento: Terça-feira e Quarta-feira, das 08h00 às 12h00


Genomas não são compostos somente por genes. De fato, sequências codificadoras de proteínas compõem uma fração muito pequena do genoma de diversos organismos eucariontes. Por exemplo, sabemos que o genoma humano totaliza apenas 1,5% de regiões codificadoras. O restante, ou seja, 98,5% do nosso genoma não codifica para proteínas e foi primeiramente classificado de "DNA lixo"sem uma função aparente. Novas tecnologias de coleta e análise de dados vem aumentando nossa capacidade de identificar e explorar funcionalmente essa grande porção genômica, a qual foi melhor designada de DNA não codificante. Atualmente, sabemos que essas regiões são compostas por introns, DNAs satélite, elementos de (retro)transposição e pseudogenes. Também sabemos que muitas destas regiões são importantes para o funcionamento celular em condições normais e patológicas. Neste minicurso iremos descrever características moleculares e funcionais do DNA não codificante em diversos organismos, de humanos a bactérias. Tudo isso será feito de maneira teórica (através de aulas expositivas) e de maneira prática (através do uso de ferramentas de bioinformática).

Ministrante: Débora Gusmão Melo (UFSCAR) Lattes

Oferecimento: Quinta e Sexta-feira, das 13h30 - 17h30


Esse é um minicurso teórico, com carga horária total de 8h, que debaterá o assunto “aconselhamento genético”. Serão abordados aspectos relacionados à definição de aconselhamento genético, indicações mais comuns e etapas do processo. Serão discutidos os desafios éticos e sociais relacionados ao aconselhamento genético no contexto brasileiro, à luz da Política Nacional de Atenção Integral a Pacientes com Doenças Raras no Sistema Único de Saúde, com ênfase nas lacunas de formação em relação à genética dos profissionais de saúde que atuam na atenção básica, a carência de profissionais habilitados para realizar o aconselhamento genético no país e a dificuldade de incorporação de tecnologias (em especial os testes genéticos moleculares) no Sistema Único de Saúde.

Ministrante: Nilton Erbet Lincopan Huenuman (ICB-USP) Lattes

Oferecimento: Quarta e Quinta-feira, das 13h30 - 17h30


Resumo não disponível.

Ministrante: Andreas Kaasi (Fundador da Eva Scientific) Lattes

Oferecimento: Quinta e Sexta-feira, das 08h00 às 12h00


Biorreatores é uma categoria ampla de dispositivos usados nas áreas de bioprocessos e engenharia de tecidos/medicina regenerativa, para aprimorar, refinar ou otimizar um processo biológico. Os biorreatores teciduais, uma das três classes que podemos atribuir para uma taxonomia de biorreatores (sendo as outras os biorreatores produtores e celulares), buscam recapitular um estado muito próximo àquele encontrado pelos tecidos e órgãos, no estado in vivo, mas numa situação artificial onde há controle de parâmetros, num sistema in vitro. Diferentes abordagens de biorreatores, com foco para biorreatores para tecidos, serão tratados para capacitar os participantes de engajamento continuado nesta área.

Embora possível aprender e entender os princípios e métodos empregados na ciência de biorreatores, de forma teórica, esta aprendizagem se solidifica com muito mais robustez ao botar mão na massa com instrumentos de verdade. No entanto, biorreatores, dependendo da classe e do escopo, podem custar na ordem de $100.000,00 ou mais, que é fora de alcance de muitos laboratórios de ensino, pesquisa e produção. Nesta oficina, os participantes irão poder experienciar o uso de alguns biorreatores teciduais do estado da arte, como os para descelularização e recelularização, biorreatores para estudar os efeitos de cisalhamento (shear stress) e biorreatores para condicionamento de órgãos como o pulmão e o coração. Será demonstrado controle, monitoramento e datalogging manual, e automatizado, usando o supervisório e software Eva Cairo™.

Ministrante: Carola Anabel Marina Yovanovich (IB-USP) Lattes

Oferecimento: Terça e Quarta-feira, das 08h00 às 12h00


Este minicurso está orientado a reconstruir a historia evolutiva dos diversos sistemas visuais e ilustrar como diferentes linhagens desenvolveram suas próprias soluções para atingir sensibilidade, resolução e outras habilidades. Discutiremos a origem dos componentes dos olhos, assim como também dos sistemas de processamento nervoso que acompanharam e permitiram aos sistemas ópticos aproveitar seu potencial. Enquanto isso, também serão discutidos os mecanismos evolutivos que agiram durante esses processos, e como o desenvolvimento dos sistemas visuais gerou novas pressões de seleção para a morfologia, fisiologia e ecologia dos diferentes grupos de organismos.

Ministrante: Leonardo José Steil (UFABC) Lattes

Oferecimento: Quarta e Quinta-feira, das 08h00 às 12h00


A cerveja é a bebida alcoólica mais consumida no mundo. Inúmeras são as suas variações de estilos, cores, sabores, texturas e aromas. Por gerações seguia-se apenas receitas sem saber claramente qual a importância de cada aspecto nessas receitas. Um grande avanço constituiu no descobrimento da existência das leveduras e de seu papel fundamental na transformação de soluções aquosas de açúcares em bebidas alcoólicas. Mais recentemente passou-se a compreender o impacto das condições de brassagem, lupulagem e fermentação no produto final, baseando-se na química e bioquímica envolvidas neste processo. São tantas variáveis envolvidas no processo de produção de cervejas, que é possível afirmar que cada indivíduo na Terra pode elaborar a sua própria receita de cerveja artesanal, podendo ser produzida em sua própria casa. Este curso aborda aspectos teóricos e práticos da produção de cerveja artesanal, buscando mostrar a simplicidade de se produzir uma cerveja artesanal, bem como a possibilidade de criação de receitas individualizadas.

Ministrante: Bianca Rangel (IB-USP) Lattes

Oferecimento: Quinta e Sexta-feira, das 13h30 às 17h30


Elasmobrânquios (tubarões e raias) apresentam complexas estratégias reprodutivas moldadas ao longo do processo evolutivo, e por mais de 400 milhões de anos, eles têm se adequado a diferentes ambientes e histórias de vida. O minicurso tem por objetivo apresentar as características morfológicas e fisiológicas da grande diversidade de modos reprodutivos, que vão de oviparidade e viviparidade, e relações tróficas materno-fetal (lecitotrofia e matotrofia). Esta série de estratégias reprodutivas são expressas através de ciclos reprodutivos, que são regulados por uma combinação de variáveis bióticas e abióticas para garantir a sobrevivência dos filhotes. Será abordado tópicos sobre a classificação dos modos reprodutivos e nutrição fetal, controle hormonal do ciclo reprodutivo, migração, diapausa, paternogênese e comportamento reprodutivo.

Ministrante: José Carlos Motta Junior (IB-USP) Lattes

Oferecimento: Quinta e Sextta-feira, das 08h00 às 12h00


Neste curso veremos desde a simples documentação iconográfica até método de coleta de dados quantitativos. Abordando os tópicos

1) Breve História da Fotografia de Natureza.

2) Bioética do fotógrafo de Natureza.

3) Tipos de câmeras e sensores para captação da imagem digital.

4) Tipos de objetivas fotográficas e seus usos.

5) Formatos JPEG vs. RAW (“negativo digital”).

6) Iluminação, exposição, ISO, profundidade de foco e composição.

7) Processamento básico da imagem: da “revelação” digital, passando pela edição, até a apresentação final da foto.

8) Algumas técnicas avançadas: HDRs, “gigapanos” e "focus stacking".

9) Uso da fotografia para estudos científicos em Ecologia e História Natural: estudos de caso detalhados.

10) Exibição/publicação das fotografias: impressão, internet, álbuns digitais

Ministrante: Maria Christina M. Amorozo (UNESP) Lattes

Oferecimento: Terça e Quarta-feira, das 08h00 às 12h00


Estruturamos o curso em:

Introdução

Abordagens à pesquisa etnobotânica

Conhecimento local

Algumas questões metodológicas

Manejo de recursos por populações tradicionais e agrobiodiversidade.


Oficinas

Ministrante: Rodrigo Trassi Polisel (UNICAMP) Lattes

Oferecimento: Terça-feira, das 8h30 às 12h00


Resumo não disponível.

Ministrante: Marcos Ono Site

Ministrante: Paula Maria Elbl Lattes

Ministrante: Leandro Francisco de Oliveira Lattes

Oferecimento: Quinta-feira, das 18h30 às 22h30


Resumo não disponível.

Ministrante: Paula Ribeiro Prist (IB/USP) Lattes

Oferecimento: Sexta-feira, das 08h00 às 12h00


Os mamíferos neotropicais possuem uma grande variação de tamanho corpóreo, de hábitos e de preferências de habitat. Os hábitos predominantemente noturnos da maioria das espécies, as áreas de vida relativamente grandes, além das baixas densidades populacionais dificultam o seu estudo. Uma das maneiras mais fáceis de se realizar estudos com esse grupo é através da identificação de rastros. Assim essa oficina tem como objetivo apresentar aos alunos as técnicas para identificação dos rastros de mamíferos de médio e grande porte. Ensinaremos como identificar os diferentes rastros de mamíferos, fazer moldes de gesso e silicone, e os primeiros passos para o estudo desses animais.

Ministrante: Carmen da Costa (CUFSA) Lattes

Oferecimento: Sexta-feira, das 08h00 às 12h00


Degradação ambiental e entomologia urbana. Aspectos da anatomia, biologia e ecologia de insetos de importância em saúde pública. Técnicas de coleta, triagem, preservação e conservação. Montagem de espécimes. Utilização de chaves simples de identificação taxonômica das principais espécies urbanas de importância em saúde pública. Biomonitoramento de insetos urbanos.

Ministrante: Aline Ghilardi (UFSCAR) Lattes

Oferecimento: Segunda-feira, das 13h30 as 17h30


Existem várias maneiras de se extrair informações do registro fóssil, porém não é possível observar o mundo outrora existente senão pela reconstituição através da arte aplicada à paleontologia. A Paleoarte certamente é um dos motivos pelos quais essa ciência é tão popular. Ela é a forma mais eficaz de “traduzir” os dados científicos em informação adequada à população leiga. Esta oficina tem como objetivo principal apresentar os conceitos gerais da arte aplicada à Paleontologia. Buscaremos primeiramente compreender como a arte é fundamental no processo de disseminação do conhecimento paleontológico e como também pode fazer parte de sua construção e amadurecimento. Entenderemos como os artistas trabalham em conjunto com os paleontólogos e como deve ser sua comunicação. Veremos como se dá o processo de reconstituição de seres extintos na prática, as diferentes formas de mídia artísticas utilizadas e, por fim, quais são as perspectivas profissionais para quem tem interesse em desenvolver suas habilidades na área.

Ministrante: Paulo Presti Migliavacca (MZUSP) Lattes

Oferecimento: Quinta-feira, das 18h30 às 22h30


A ilustração científica costuma ser definida como a intersecção entre a ciência e a arte, na qual muitas vezes não se pode distinguir um do outro. Um desenho científico, portanto, deve ser correto cientificamente e bonito artisticamente. Nesta oficina de introdução ao desenho científico, você verá os preceitos, aplicações e métodos de uma ilustração científica, além dos materiais e técnicas de aquarela para representação de um modelo biológico.


Palestras

Ministrante: ... Lattes

Ministrante: ... Lattes

Oferecimento: Quinta-feira, das 08h00 às 12h00


Resumo não disponível.

Ministrante: Alecsandra Tassoni Pereira Lattes

Projeto Jacutinga Site

Oferecimento: Terça-feira, das 13h30 às 17h30


Resumo não disponível.

Mesa Redonda

A nova grande extinção: o fim da ciência no Brasil

Oferecimento: Quinta-feira das 13h30 às 17h30