5

Dezembro 2010

PDF (2.21 MB)

Expediente

Consultores: Agustín Camacho Guerrero, Amanda da Moraes Narcizo, Ananda Brito de Assis, Andreas Betz, Arnaldo Cheixas-Dias, Carlos Eduardo Amancio, Daiane Gil Franco, Danilo Flores, Evelyn Loures de Godoi, Gustavo Requena Santos, João Paulo Matsumoto, José Eduardo Amoroso Rodriguez Marian, Laura Leal, Leandro C.S. Assis, Lucile Maria Floeter-Winter, Marcia Laguna, Meirielen Caroline da Silva, Olívia Mendonça Pimenta, Pedro Leite Ribeiro, Renato Sousa Recoder, Sérgio N. Stampar, Tatiana Hideko Kawamoto, Thaís Diniz-Reis e Thallita Oliveira de Grande

Editores: André Frazão Helene, Carlos Ribeiro Vilela, Déborah Yara Alves Cursino dos Santos, Gilberto Fernando Xavier, Marcelo Luiz Martins Pompêo, Paulo Enrique Cardoso Peixoto e Sônia Godoy Bueno Carvalho Lopes

Coordenadores: Agustín Camacho Guerrero, Pedro Leite Ribeiro e Rodrigo Pavão

Artigos

REGULAÇÃO DA TEMPERATURA CORPORAL EM DIFERENTES ESTADOS TÉRMICOS: ÊNFASE NA ANAPIREXIA
Carolina da Silveira Scarpellini e Kênia Cardoso Bícego

Indiscutivelmente a temperatura é um dos principais fatores que afetam os processos fisiológicos e bioquímicos. Por isso, o estudo de como os animais regulam sua temperatura corporal (Tc) e respondem às alterações da temperatura ambiente é imprescindível. Os cinco estados térmicos definidos até o momento incluem eutermia, hipo e hipertermia (queda e aumento, respectivamente, da Tc devido à incapacidade de mantê-la sem variação), febre e anapirexia (aumento e queda regulados, respectivamente, da Tc). Nesta revisão são apresentados alguns dados clássicos e recentes sobre mecanismos termorreguladores envolvidos nesses estados térmicos e especial atenção é direcionada à anapirexia, um estado menos conhecido e que tem atraído a atenção dos pesquisadores devido ao seu potencial terapêutico. Palavras-chave. Área pré-óptica, hipóxia, receptores opióides. doi: 10.7594/revbio.05.01

PDF
MODELOS COMPUTACIONAIS APLICADOS À NEUROCIÊNCIA COGNITIVA
Rodrigo Pavão

A ciência trabalha com modelos o tempo todo, assim como a neurociência cognitiva, que usa modelos para o estudo de funções mentais como a memória e a atenção. No entanto, a criação de modelos para cada uma das funções mentais é apenas uma das estratégias de estudo. A modelagem computacional é uma estratégia de construção de modelos centrada nos processos envolvidos nessas funções mentais; esses modelos são então estruturados através do desenvolvimento de algoritmos capazes de executar tais processos. A teoria de detecção de sinais pode ser usada na geração desses modelos, que podem ser aplicados no estudo da memória e atenção de modo a gerar os comportamentos envolvidos, sem a necessidade das separações presentes nos modelos tradicionais. Assim, a visão defendida aqui é a de que há grande similaridade entre essas funções cognitivas, de modo que seria vantajoso compreender tais fenômenos através da adoção de um mesmo modelo geral que fizesse a tradução dos processos neurofisiológicos para o comportamento. Palavras-chave. Modelagem, atenção, memória, aprendizagem, teoria de detecção de sinais. doi: 10.7594/revbio.05.02

PDF
AMIGOS, AMIGOS, BANCAS À PARTE
Eleonora Trajano

São discutidos aspectos éticos relativos à formação de bancas examinadoras, com foco na presença de ex-orientadores e co-autores de candidatos. Vieses e parcialidade são brevemente analisados no contexto da evolução humana, chegando à questão da discriminação. Argumenta-se que, para evitar conflitos de interesse, deve-se evitar a presença tanto de amigos (no sentido do favorecimento) como de inimigos (definidos no sentido da rejeição, levando ao desfavorecimento de candidatos) nas referidas bancas. Finalmente, questiona-se co-autoria como fator de predição de amizade. Palavras-chave. Ética, bancas examinadoras, critérios para formação, conflito de interesses, relação co-autorias / amizade. doi: 10.7594/revbio.05.03

PDF
AUTODEPURAÇÃO DOS CORPOS D’ÁGUA
Larice Nogueira de Andrade

A proteção dos recursos hídricos envolve o monitoramento e a avaliação de sua qualidade ao longo dos rios, estabelecendo metas e controlando as descargas de poluentes, de forma que um nível aceitável de qualidade da água seja mantido. A compreensão da autodepuração dos corpos d’ água constitui em elemento básico para a adoção destas medidas e ações. Desse modo, esta revisão tem como objetivo relatar alguns dos principais processos integrantes do fenômeno de autodepuração, dando merecido destaque para os processos biológicos, principal indutor das alterações ecológicas e do restabelecimento do equilíbrio no meio aquático. Palavras-chave. Autodepuração, matéria-orgânica, poluição. doi: 10.7594/revbio.05.04

PDF
HISTÓRICO DOS ESTUDOS SOBRE A MALACOFAUNA FÓSSIL DA FORMAÇÃO CORUMBATAÍ, BACIA DO PARANÁ, BRASIL
Rodrigo B. Salvador e Luiz R. L. Simone

A Formação Corumbataí é uma das formações que compõem o Grupo Passa Dois na Bacia do Paraná e data do final da Era Paleozóica, mais precisamente do Período Permiano (Superior). Seu registro fóssil é composto principalmente por moluscos bivalves e começou a ser estudado nas primeiras décadas do século XX, no início principalmente por paleontólogos estrangeiros. Somente na década de 1940 cientistas brasileiros começaram a produzir estudos sobre essa Formação e o fizeram até o início da presente década. Apesar da extensa pesquisa, o estudo sobre alguns tópicos, como, por exemplo, sistemática, permanece incompleto. Palavras-chave. Bivalves, Grupo Passa Dois, moluscos, Permiano Superior. doi: 10.7594/revbio.05.05

PDF
FISIOLOGIA SENSORIAL
Felipe Viegas Rodrigues

Os receptores sensoriais existentes nos animais, ponto de contato entre o mundo externo e o sistema nervoso, permitem a captação e a transdução de todo tipo de estímulos ambientais, sejam ondas eletromagnéticas, ondas mecânicas ou moléculas (estímulos químicos). Os mecanismos de transdução das diferentes modalidades sensoriais serão revistos, juntamente com as regiões encefálicas envolvidas com o processamento primário dos estímulos ambientais, ainda evidenciando a relação do habitat e estilo de vida de diferentes organismos com seus sistemas sensoriais. Palavras-chave. receptores, sistemas sensoriais, transdução.  doi: 10.7594/revbio.05.06

PDF

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <blockquote> <p> <br>

Mais informações sobre as opções de formatação