Responder a este comentário

O conceito de 'monera' em Haeckel (1834-1919) está alinhado com seu suposto equivalente 'mônada' em Leibniz (1646-1716). Há pontos de contato (e, também, de afastamento) entre ambos os termos em suas acepções (almas, átomos ou, mais precisamente, enteléquias). Leibniz viveu duzentos anos antes de Haeckel e creio que o artigo deveria traçar algum paralelo a esse respeito. Deixo-lhe aqui uma sugestão para epígrafe ao seu texto. A primeira estrofe de Monólogo de uma sombra, de Augusto dos Anjos: "Sou uma sombra! Venho de outras eras,/ Do cosmopolitismo das moneras.../ Pólipo de recônditas reentrâncias,/ Larva de cáos telúrico, procedo/ Da escuridão do cósmico segredo,/ Da substância de todas as substâncias!

Por curiosidade, Haeckel também tem Augusto no nome, assim como Leibniz tem, como você, o nome de Wilhelm, equivalente a Guilherme na língua portuguesa. Votos de sucesso.

Responder

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <blockquote> <p> <br>

Mais informações sobre as opções de formatação