Notícias

ARQUEOLOGIA NO ENSINO BÁSICO

archeo2ARQUEOLOGIA NO ENSINO BÁSICO

"Ederson Granetto entrevista a professora Sabine Eggers e a pesquisadora Celia Boyadjian, do instituto de Biociências da Universidade de São Paulo sobre como usar a arquologia para despertar o interesse pela ciências em alunos do ensino básico"

Leia mais:ARQUEOLOGI...

O avanço das pesquisas genéticas

avancoO avanço das pesquisas genéticas

Confira a participação da Profa. Dra. Lygia da Veiga Pereira Carramaschi, do Departamento de Genética e Biologia do IB/USP, no programa Canal Livre da Band.

Esta edição, que foi ao ar domingo (10.03), focou nos avanços das pesquisas genéticas no Brasil e no mundo.

No primeiro bloco do programa, a geneticista explicou como funciona a ciência genética. Parte 1

"Fernando Mitre, Fabio Pannunzio e Marina Machado fazem à pesquisadora Lygia Veiga Pereira questões sobre os limites éticos da manipulação do genoma humano, clones e as perspectivas para as pesquisas na ciência genética." Parte 2

"No último bloco, o programa tratou sobre o processo de envelhecimento sob a perspectiva da genética e se o estudo do genoma pode alterar a longevidade humana." Parte 3

Uma nova descoberta sobre as interações entre formigas e plantas com possíveis aplicações para a agricultura

art12Uma nova descoberta sobre as interações entre formigas e plantas com possíveis aplicações para a agricultura

"As formigas são animais temidos na natureza. Apesar de seu diminuto tamanho, elas demonstram grande poder graças à sua força, organização e agressividade. Quem já pisou sem querer em uma colônia de lava-pés (gênero Solenopsis) sabe bem como é. Dentre essas formigas agressivas, destacam-se também as saúvas (gênero Atta), consideradas pragas agrícolas. Entretanto, nem todas as formigas danificam as plantas, sendo que algumas até mesmo as protegem contra herbívoros.

Para entendermos como se dá essa proteção, vamos pensar sobre a vida das plantas. Primeiro, elas são sésseis, ou seja, não conseguem se locomover ativamente. Além disso, as estruturas delas (flores, folhas, frutos, sementes, caule, galhos e raízes) são intensamente atacadas por herbívoros. Como as plantas não podem sair correndo quando estão sob ataque, elas desenvolveram uma série de estratégias para se defender. Dentre essas estratégias, destacamos aqui a defesa biológica, em que as plantas atraem os inimigos naturais dos herbívoros, que por sua vez se encarregam de eliminá-los."

Ficou curioso/a? Clique aqui e confira mais sobre o assunto abordado no artigo recém-publicado resultante da dissertação de mestrado de Fábio Pacelhe, sob a orientação do Prof. Dr. Marco Mello do Departamento de Ecologia do IB/USP.