Cana-de-açúcar como Biocombustível

BuckeridgeO professor Marcos Silveira Buckeridge, do Departamento de Botânica – IB / USP – concedeu entrevista à TN Petróleo, revista especializada em combustíveis. O professor discutiu sobre o sucesso da cana-de-açúcar como matéria-prima do bioetanol.

O Brasil foi pioneiro na exploração de biocombustíveis, em especial no beneficiamento da cana-de-açúcar. O país foi o primeiro a investir em leveduras no processo, ainda em 1930. Hoje, o Brasil conta com o mais eficiente setor de biocombustíveis do mundo, com rendimento de 96% no processo.
Além de razões históricas, Buckeridge conta na reportagem que o estudo sistêmico da planta foi fundamental para o estabelecimento do cenário de hoje. “O fato de estudarmos o genoma e a fisiologia da cana-de-açúcar e adquirir cada vez mais conhecimento sobre seu funcionamento vai nos permitir redesenhar a planta para que ela ultrapasse as outras cultivares que estão sendo utilizadas para produzir bioetanol e ser efetivamente melhor para a produção de biocombustíveis de segunda geração”, disse o pesquisador.
O professor também comenta sobre recentes avanços na área, tanto no Brasil quanto em outros países. Os resultados são promissores, e a tendência é que a produtividade seja aumentada em vários aspectos, desde agronômicos quanto biológicos. Mas ele ressalta que o trabalho deve ser conjunto. “Não dá para o país tentar fazer esse esforço sozinho. É preciso se aliar e ter investimentos sólidos nessa área, porque há muita coisa para desenvolver principalmente na parte de engenharia de plantas”.
Para mais informações e matéria completa acesse o link.

Etanol
Fonte: envolverde.com.br