O etanol de segunda geração

etanolO etanol de segunda geração

O Brasil é o segundo maior produtor de etanol em larga escala e também o maior produtor de cana-de-açúcar do mundo. Com a crise do petróleo de 72-73, transformamos muitas usinas de açúcar em unidades de produção de etanol, capazes de coproduzir etanol e açúcar bruto, o que nos ajudou a enfrentar a maior crise energética do mundo.

Com a produção e uso em larga escala do álcool como combustível e a atenção dos governos e conscientização pública sobre questões que envolvem o aquecimento global, o Brasil aproveita o momento para conduzir a substituição do combustível fóssil pela energia renovável.

Nesse contexto, a comunidade científica brasileira e os governos federal e do estado de São Paulo tiveram a iniciativa de pesquisar formas de aumentar a produção do etanol além do limite atual. A ideia é produzir etanol a partir de polímeros, como a celulose, presentes na parede celular das células da cana.

Quem está à frente deste trabalho é o professor Marcos S. Buckeridge, do departamento de Botânica do IB/USP. Confira no blog do Global Plant Council, em inglês, os detalhes de como é feito, aqui no IB, o processo de estudo e a criação do etanol de segunda geração.