CARACTERÍSTICAS GERAIS DA REGIÃO DO PARQUE NACIONAL DOS LENÇÓIS MARANHENSES, MARANHÃO, BRASIL

Marcelo L. M. Pompêo & Viviane Moschini-Carlos
USP – IB, Departamento de Ecologia, R. do Matão, Travessa 14, 321, São Paulo, SP, Brasil, 05508-900, vivimarc@uol.com.br.

 

VEGETAÇÃO

 

Na região dos Lençóis Maranhenses ocorrem vegetação de dunas e restingas (Figura abaixo).

A vegetação de praias e dunas sofre o efeito contínuo dos ventos marinhos, carregados pelo sol, da areia e aquelas espécies mais próximas ao mar, das águas da maré alta. Devido a ação combinada de vento, areia e água salgada, intimamente variável, de acordo com a maior ou menor distância do mar, a vegetação apresenta um aspecto característico, produzido por variadas formas de adaptação à água salgada, às altas temperaturas da areia, à escassez de água nas dunas, à forte ação do vento e da areia (Atlas do Estado do Maranhão, 1984).

Entre as espécies mais comuns encontram-se: o capim-da-areia (Panicum racemosum), o capotiraguá (Iresine portulacoides) que se desenvolvem nas áreas banhadas pela água do mar, o alecrim-da-praia (Hybanthus ipecacunha), pimenteira (Cardia curassanica), capim paratuá (Spartina alternifolia), campainha-braca (Ipomea acetosaefolia), acariçoba (Hidrocotyle umbellata), carrapicho-da-praia ou espinho-de-roseta (Acicarpha spathuslata), cardo-da-prais Cereus pernambucencis), comandaiba (Sophora tomentosa), grama-da-praia (Sporobolus virginicus), feijão-da-praia (Canavalia obtusifolia) (Atlas do Estado do Maranhão, 1984).

Nas restingas crescem as espécies que não sofrem a ação direta das vagas, mas que ainda estão correlacionadas com a proximidade do oceano. Em certos locais a vegetação das restingas pode se tornar muito densa, constituindo-se em um espesso e emaranhado de plantas lenhosas subarbustivas e até mesmo arbustivas.

Por vezes a vegetação da restinga se mistura com a vegetação do cerrado e da caatinga.

Carvalho (1993) estudou Queimadas, uma ilha de vegetação, localizada no interior do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Verificou que as famílias vegetais apresentam dois padrões estratégicos básicos de ocupação do ambiente. O incremento da biomassa, caracterizado por indivíduos maiores e em menor número ocupando uma maior área, e o investimento na quantidade, caracterizado por um maior número de indivíduos menores que aumentam a probabilidade de se distribuírem por uma área maior. São constituídos por uma formação arbórea e por uma vegetação herbácea, respectivamente.

 

Vegetação

Figura: Vegetação nos Lençóis Maranhenses. Modificado de Atlas do Estado do Maranhão (1984).

 

Limnologia