Em 1809 nasce em Shrewsbury, na Inglaterra, Charles Darwin. Ainda moleque demonstrava um interesse acima do normal pela natureza. Adorava pescar, caçar, colecionar plantas e insetos, isto quando não estava lendo livros de natureza...mas seu pai não via muito futuro neste campo da ciência e sendo médico, enviou o filho para estudar medicina em Edimburgo, na Escócia. Charles não gostava muito da escola de medicina pois achava entediante (apesar de tirar notas razoavelmente boas). Charles saiu de Edimburgo sem graduar-se e foi para Cambridge no Christ College com o intuito de tornar-se um clérigo.


Naquele tempo a maioria dos naturalistas estava no clérigo, pois segundo já vimos anteriormente o paradigma vigente era da Teologia Natural, em resumo, todos os seres vivos tinham sido criados por inspiração Divina, e desde o começo dos tempos já seriam tais como são hoje. Lembra-se da idéia do fixismo?


Na escola Darwin tornou-se rapidamente o "protegido" do reverendo (e professor de botânica) John Henslow. Isto foi muito importante pois logo após a sua graduação o prof. Henslow recomendou Darwin para fazer parte da tripulação do Capitão FitzRoy no barco de pesquisa HMS Beagle.


Darwin tinha 22 anos quando zarpou em 1831 com o Beagle com a missão primária de desenhar reentrâncias mal conhecidas do litoral da costa Sul Americana. Enquanto a maioria da tripulação estava descobrindo a costa, Darwin ficava em terra coletando material da exótica flora e fauna até então pouco conhecidas pelos europeus.


Darwin teve a oportunidade de perceber as adaptações que aconteciam de acordo com cada ambiente, sejam as selvas brasileiras, sejam os pampas argentinos e ainda os Andes. Darwin estava estarrecido com as peculiaridades da distribuição geográfica das espécies. O caso que ficou mais famoso foi o das ilhas Galápagos, que ficam cerca de 900 km da costa e hoje pertencem ao Equador. As espécies nestas ilhas são endêmicas porém lembram espécies que vivem no continente sul americano. Darwin quando fez a sua coleta de pássaros não se preocupou em fazê-lo ilha por ilha, principalmente porque ele não tinha ainda idéia do significado que a fauna e a flora teriam para ele depois disso. Neste ponto da sua vida Darwin já estava questionando o conceito estático da Terra. Para ele a Terra evoluía e estava em constante transformação...


Quando Darwin coletou os tentilhões ele não sabia se eram todos de uma só espécie, ou se eram espécies diferentes. Quando ele voltou a Inglaterra em 1836 ele consultou ornitologistas que o disseram que eram espécies separadas. Quando isto aconteceu ele reviu as notas que escreveu durante a viagem e, em 1837, começou a escrever o primeiro de uma série de anotações sobre a origem das espécies...


Darwin então começava a perceber que a origem das espécies e a adaptação ao meio ambiente eram processos muito relacionados.


Nos primeiros anos de 1840 Darwin trabalhou nas bases de sua teoria de seleção natural e mecanismos de evolução, porém ele ainda não havia publicado nenhuma de suas idéias. Mas ele não estava distante da comunidade cientifica da época, pois já era considerado um grande naturalista pelas espécies que enviou de sua viagem com o Beagle e recebia cartas e visitas de cientistas renomados. Darwin tinha problemas de saúde e ficava muito dentro de casa e reunia cada vez mais material para dar suporte à sua teoria. Porém o pensamento evolucionista estava emergindo em diversas áreas e Darwin estava relutante em expor suas idéias para o público da comunidade cientifica... Até que em junho de 1858 Darwin recebeu uma carta de um jovem chamado Alfred Wallace, que estava trabalhando nas Índias Orientais. Na carta Wallace pedia para Darwin avaliar um paper e se considerasse relevante, que passasse para Lyell. No paper Wallace desenvolveu uma teoria de seleção natural essencialmente idêntica a de Darwin... Isto fez com que Darwin apressasse a publicação de "A Origem das Espécies", mas ele primeiro apresentou o trabalho de Wallace juntamente com um artigo que ele próprio (Darwin) havia escrito em 1844 (e deixado com a mulher para que ela publicasse caso ele morresse antes de escrever algo mais completo sobre o assunto) para a Sociedade Linnaen de Londres.


Darwin tinha tanto material para suportar suas idéias, e trabalhou tanto em cima desta teoria que até mesmo Wallace reconheceu que Darwin deveria ser reconhecido como autor principal da teoria. (afinal ele tinha manuscritos de 15 anos de idade...)


As teorias que foram expostas nesta publicação de Darwin foram rotuladas de DARWINISMO. E Ernst Mayr (Prof. da Universidade de Harvard) resumiu a lógica da teoria de Darwin em 3 inferências baseadas em 5 fatos:


FATO 1 - Todas as espécies tem um potencial tão grande de fertilidade, que a população cresceria exponencialmente se todos indivíduos que nascessem se reproduzissem com sucesso.
FATO 2 - A maioria das populações são estáveis em tamanho, com pequenas variações sazonais.
FATO 3 - Recursos naturais são limitados.
Inferência 1 - A produção de mais indivíduos que o ambiente pode suportar leva a uma luta por sobrevivência que faz com que apenas uma fração dos descendentes sobreviva a cada geração.


FATO 4 - Indivíduos dentro de uma população variam muito nas suas características.
FATO 5 - Muita desta variação é transmitida para outras gerações.
Inferência 2 - A sobrevivência na luta pela pela existência não é ao acaso, mas depende na constituição hereditária dos indivíduos que sobrevivem. A características herdadas que melhor se adaptam ao ambiente terão maiores chances de deixar descendentes em maior quantidade.
Inferência 3 - Esta habilidade desigual dos indivíduos de sobreviver e reproduzir vai gerando gradativamente uma mudança na população, com um acúmulo de características favoráveis nas gerações posteriores.

A seleção natural é meramente este diferencial de sucesso reprodutivo e o seu produto é a adaptação do organismo em seu ambiente. Sendo assim a seleção natural age através de uma interação entre o meio ambiente e a variabilidade inerente presente em todas as populações. Na média, os mais adaptados passam seus genes para uma quantidade maior de descendentes...


Darwin achou evidências para este mecanismo identificando espécies que o ser humano foi selecionando por possuir melhores características de consumo (como legumes e frutas), ou até mesmo estéticas, como animais de estimação (cachorros e gatos). Com isto foi criado o conceito de seleção artificial.


Se tanta mudança é possível em tão pouco tempo (como no caso dos animais de estimação), você poderia imaginar o que não aconteceria quando estamos lidando com escalas muito maiores de tempo... Não vamos esquecer que o pensamento de Darwin é fundamentalmente gradualista.

A maioria dos biólogos estava convencida dos mecanismos de evolução, mas não da seleção natural, pois ela se baseava na hereditariedade das características ... E na época isto era um problema obscuro pois apesar de Mendel já ter desenvolvido as bases da hereditariedade com suas experiências com ervilhas, isto não havia sido descoberto pela comunidade científica. Quando o trabalho de Mendel foi redescoberto no início do sec. XX a princípio a comunidade cientifica verificou que havia um contrasenso entre as características binárias de Mendel (como formato -liso ou rugoso-, cor -verde ou amarela-, etc..) e as características contínuas de Darwin. Depois chegou-se a conclusão que o que havia sido descrito por Darwin eram características de múltiplos loci gênicos.


Com os avanços da genética, mais ou menos em 1930 os conceitos de Mendel e de Darwin foram reconciliados.
No inicio dos anos 40, foi consolidada uma teoria que ficou conhecida como Síntese Moderna (ou Neo-Darwinismo).


Retornar