Zonação

 

características

 

biodiversidade

 

geologia

 

zonação

 

relações humanas

 

impactos ambientais

 

leitura recomendada

 

início

 


Parque Estadual da Ilha  Anchieta - Ubatuba, SP.  Foto: Fabiana Carvalhal

O costão rochoso é um importante substrato de fixação e locomoção para diversos organismos. Entretanto, a sua ocupação não ocorre aleatoriamente, ou seja, os organismos se estabelecem ou se locomovem em faixas bastante distintas normalmente perpendiculares à superfície do mar. Estas regiões (ou zonas) são formadas a partir das habilidades adaptativas dos organismos relacionadas aos fatores abióticos (ambientais), e aos fatores bióticos (diversos níveis de interações biológicas e processos de recrutamento de larvas e propágulos). A esta distribuição dá-se o nome de ZONAÇÃO. 

Os padrões de zonação são estudados desde o século XIX  por inúmeros pesquisadores. Kjelman (1877, 1878) definiu o padrão de zonação à partir da definição dos níveis de maré. Alguns autores (Stephenson & Stephenson, 1949) definiram um padrão de zonação universal baseado principalmente na distribuição dos organismos.  Lewis (1964), considerando os níveis de maré e a distribuição dos organismos, incluiu o efeito das ondas na sua classificação. Independentemente da metodologia adotada, definiu-se, de modo geral, três principais zonas de distribuição:

-         supra litoral

-         meso litoral

-         infra litoral

Como se formam as marés?