Table of Contents

Projetos

Vários projetos de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós doutorado foram e são realizados no Laboratório; seus resumos podem ser encontrados nos links de cada um dos membros da equipe. Aqui apresentamos os projetos de maior porte já realizados e em andamento, muitos dos quais abarcam projetos individuais dos estudantes:

Finalizados

2005 - 2011 Diversidade de mamíferos em Paisagens Fragmentadas no Planalto Atlântico de São Paulo – Jovem Pesquisador Fapesp (2005/56555-4) – Coordenação: Renata Pardini

Resumo: A fragmentação de habitats é, no seu sentido estrito, a sub-divisão de áreas contínuas de habitat, ou seja, uma mudança na configuração espacial do habitat. No entanto, nas paisagens reais, concomitantemente à fragmentação, ocorre a perda de áreas de habitat. Alguns trabalhos teóricos sugerem a existência de um limiar de fragmentação entre 20-30% de habitat remanescente, definido como a quantidade de habitat abaixo da qual a importância da configuração para a persistência das espécies aumenta drasticamente. Esse limiar derivaria das relações não lineares, observadas em paisagens fragmentadas, entre a quantidade de habitat remanescente e o número, o tamanho ou o grau de isolamento de manchas de habitat. Por outro lado, apesar de não incorporadas aos modelos clássicos utilizados no estudo dos efeitos da fragmentação, características internas do habitat podem ser mais importantes do que a quantidade ou configuração do habitat para a persistência de espécies ou para a riqueza de comunidades em paisagens fragmentadas. Além disso, sabe-se que o conjunto de ambientes alterados que envolvem os remanescentes, chamados no seu conjunto de matriz, influencia os processos biológicos em paisagens fragmentadas de pelo menos três modos: alterando as taxas de dispersão, oferecendo habitat alternativo e representando uma fonte de novas espécies invasoras. O presente projeto dá continuidade aos estudos de fragmentação realizados nos últimos três anos na região de Caucaia do Alto e procura analisar quais fatores determinam, em paisagens fragmentadas, os padrões de diversidade e de distribuição de espécies de mamíferos, e permitirá responder três perguntas: i) qual a importância relativa da quantidade e da configuração espacial da cobertura florestal em paisagens fragmentadas?; ii) qual a importância relativa da estrutura do habitat em relação à estrutura da paisagem?; iii) qual a importância da permeabilidade da matriz para a manutenção das espécies em paisagens fragmentadas?

Participantes: Thomas Püttker, Fabiano Fernandes, Adriana de Arruda Bueno, Fabiana Umetsu, Camila dos Santos de Barros, Paula Koeler Lira, Laura Naxara, Bruno Trevizan Pinotti, Karina Dias Espartosa, Gustavo de Oliveira, Enrico Frigeri, Thais Martins, Camilla Pagotto e Natália Rossi

2011 - 2014 Extensão universitária como ferramenta de preenchimento da lacuna pesquisa-prática: apóio à solução de problemas ambientais do Estado da Bahia – PROEXT – Coordenação: Pedro Luis Bernardo da Rocha (UFBA)

Resumo: O presente Programa de Extensão, proposto pelo Núcleo de Pesquisa em Conservação e Biodiversidade do Instituto de Biologia da Universidade Federal da Bahia, tem por objetivo geral colaborar para preencher a lacuna pesquisa-implementação no campo dos problemas ambientais. O programa inclui oito projetos: os projetos de 1 a 6 têm por objetivo criar comunidades de práticas, com a participação de gestores ambientais, pesquisadores e estudantes, para propor soluções para problemas apresentados por órgãos ambientais e produtores do Estado da Bahia, divulgando estas atividades para os professores do ensino médio da Rede Pública do Estado da Bahia. A publicação deste conhecimento produzido e a divulgação de textos de teor semelhante em um periódico de livre acesso em idioma português é o objetivo do projeto 7. O projeto 8 objetiva a realização de seminários abertos, com a participação de convidados brasileiros e estrangeiros, para aprofundamento das possíveis contribuições da ciência ecológica para a solução de problemas ambientais. Todas as atividades propostas vinculam a produção de conhecimento aplicado, enfocando demandas da sociedade, à formação de estudantes de graduação e pós-graduação.

Participantes: Renata Pardini e vários pesquisadores e estudantes da UFBA.

Em andamento

2012 - Atual

Determinantes da atividade e consumo de caça em região de fronteira agrícola na Amazônia Oriental – Auxílio a Pesquisa Fapesp (2011/19108-0) – Coordenação: Renata Pardini

Resumo: A caça representa fonte importante de proteína e de renda monetária para populações rurais. A pressão de caça, no entanto, pode levar à diminuição dos animais caçados, pondo em risco a integridade das florestas no longo prazo, e à redução do valor atribuído às florestas pelas populações locais. Definir os determinantes da caça é, portanto, base fundamental para estratégias de conservação e para garantir a segurança alimentar das populações humanas. A caça é influenciada por múltiplos fatores que atuam em escalas espaciais distintas e que afetam tanto a oferta quanto a demanda por carne de caça, alterando a relação custo-benefício desta atividade. Fatores ambientais usualmente correlacionados provavelmente definem um vetor de variação espacial da relação custo-benefício da caça em escalas amplas. Estes fatores definem a oferta de animais para caça (cobertura florestal, rede viária, densidade da população humana) e influenciam a demanda por carne de caça (proximidade a centros urbanos). No entanto, a demanda por carne de caça deve ser também influenciada, em escalar menor, pelas características socioeconômicas e culturais dos habitantes. Em uma região de fronteira agrícola na Amazônia, através de entrevistas com moradores de seis microrregiões que variam quanto à proximidade do maior centro urbano e nos fatores ambientais que condicionam a disponibilidade de animais para caça, pretendemos investigar: (i) a importância relativa e as interações entre os fatores socioeconômicos, culturais e ambientais que determinam a atividade e o consumo de caça; e (ii) a influência da importância e do consumo de caça sobre a percepção da floresta pela população local.

Participantes: Carla Morsello, Toby Gardner, Luke Parry, Patricia Carignano Torres e Paula Elias Moraes

2014 - Atual Projeto Interface: Relações entre Estrutura da Paisagem, Processos Ecológicos, Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos – Projeto Temático Fapesp (2013/23457-6) – Coordenação: Jean Paul Metzger (Ecologia IBUSP)

Resumo: Diante do desafio de planejar paisagens multifuncionais sustentáveis para que além das funções produtivas elas mantenham também parte da diversidade biológica original e das funções ecossistêmicas, este projeto pretende investigar como parâmetros da estrutura da paisagem regulam direta ou indiretamente diferentes serviços ecossistêmicos através de processos ecológicos variados. A regulação destes serviços vem sendo estudada em escalas locais, em geral através de manipulações experimentais, ou em escalas muito globais, em estudos baseados em correlações, havendo uma lacuna de conhecimento em escalas intermediárias de paisagem, que permitam aliar o entendimento dos mecanismos reguladores com uma maior precisão no poder de extrapolação espacial. Através da relação de medidas de taxa e estoque de serviços ecossistêmicos de regulação (e.g. polinização, controle de pragas e de doenças, regulação de fluxo hídrico e qualidade de água), provisão (água) e de suporte (estoque de carbono) com parâmetros da estrutura da paisagem (e.g. proporção de habitat nativos na paisagem, proximidade e quantidade de bordas entre fragmentos de vegetação nativa e áreas agrícolas, composição da paisagem), queremos contribuir com o entendimento dos efeitos da perda de habitat sobre os serviços ecossistêmicos, e investigar a existência de limiares e trade-offs nestes serviços. Com um desenho amostral espacialmente explícito, que vincula estas medidas com a amostragem das espécies que promovem esses serviços, aliado a experimentos, poderemos identificar como processos ecológicos que agem no nível da paisagem (e.g. conectividade, efeito de borda, complementação e suplementação de habitat) afetam e controlam a provisão de serviços ecossistêmicos. Ao considerar 35 paisagens em diferentes tipos de matrizes agrícolas (café, pasto, eucalipto), num bioma altamente biodiverso e ameaçado (Mata Atlântica), poderemos avaliar a generalidade dos resultados obtidos, comparando diferentes serviços na mesma matriz ou o mesmo serviço em matrizes distintas. Espera-se que: (i) existam limiares de perda de serviços ecossistêmicos de regulação e suporte ao longo de gradientes de perda de habitat, de forma similar ao que foi observado para a biodiversidade; (ii) esses limiares sejam regidos por uma série de processos ecológicos relacionados ao movimento das espécies que promovem o serviço ecossistêmico, e a mudanças (em geral não-lineares) da configuração da paisagem; (iii) em paisagens com matrizes mais florestais os limiares ocorram mais tarde ao longo do gradiente de perda de habitat. O conjunto destes dados servirá de subsídios a políticas públicas de ordenamento territorial e manutenção de serviços ecossistêmicos em paisagens agrícolas da Mata Atlântica.

Participantes: Renata Pardini, Elizabeth Nichols, Fernando Silverio Ribero e Vinícius Leonardo Biffi e vários pesquisadores e estudantes brasileiros e estrangeiros.

2014 - Atual Interações entre ameaças a biodiversidade e seus efeitos sobre danos e valores na população humana – CNPq Bolsa de Produtividade – Coordenação: Renata Pardini

Resumo: A perda de habitats é considerada a principal causa da crise de biodiversidade que vivemos hoje. No entanto, a perda de habitat não só atinge diretamente as populações e comunidades de plantas e animais, mas também facilita a propagação ou aumenta os efeitos de outras ameaças. Um dos grandes gargalos de conhecimento a respeito dos efeitos das atividades antrópicas sobre a biodiversidade vem justamente da limitação da maioria dos estudos a uma única ameaça, desconsiderando a potencial sinergia entre elas. Outro campo pouco explorado até o momento se refere a como essas diferentes ameaças a biodiversidade afetam as populações humanas locais. Particularmente escassos são os estudos que quantifiquem como a população local percebe danos e benefícios associados aos habitats naturais e sua biodiversidade, ou o valor que dão a eles. Estas informações são essenciais para a efetividade de ações locais de conservação da biodiversidade ou uso sustentável de recursos, uma vez que em paisagens reais diferentes ameaças atuam simultaneamente e tais ações dependem da participação e envolvimento da população local. De fato, a idéia de que sistemas humanos e naturais podem ser tratados independentemente é tido como um dos maiores problemas para o manejo eficiente dos recursos naturais. Não só as populações humanas dependem dos sistemas naturais para seu sustento e bem estar como os modificam, reduzindo ou não a possibilidade de proverem estes serviços no longo prazo. Estes mecanismos de retro-alimentação acoplam os sistemas humanos e naturais em sistemas sócio-ecológicos, que não podem ser entendidos ou manejados de maneira independente. Usando a Mata Atlântica e os mamíferos de maior porte como sistema de estudo, e a partir de dados a serem coletados em 13 paisagens de cerca de 3.000 ha cada variando de 10 a 50 % de cobertura florestal, este projeto visa contribuir para a compreensão das interconexões em sistemas sócio-ecológicos, investigando (1) as interações entre três ameaças a biodiversidade - perda de habitat, invasão de espécies e propagação de doenças, e (2) os efeitos da perda de habitats e de biodiversidade sobre danos econômicos e percepção do valor das florestas nas populações humanas.

Participantes: Elizabeth Nichols, Ronaldo Morato, Fernando Silverio Ribeiro e Vinícius Leonardo Biffi.

*Este projeto está vinculado ao projeto temático descrito acima.

2011 - Atual

Integrando níveis de organização em modelos ecológicos preditivos: aportes da epistemologia, modelagem e investigação empírica – PRONEX - Coordenação: Charbel El-Hani (UFBA)

Resumo: A literatura reconhece necessidade de maior integração das teorias sobre sistemas e processos ecológicos, produzidas a partir de diferentes abordagens, referenciais teóricos e escalas espaciais/temporais. Estudos epistemológicos e metodológicos são capazes de integrar conhecimento ecológico. Este projeto interdisciplinar combina ecologia, epistemologia e física estatística objetivando a produção de conhecimento teórico e empírico para construção de ecologia integrada e preditiva aplicável na gestão de recursos ambientais. Ele inclui cinco questões de pesquisa: (i) Investigação epistemológica de conceitos centrais da ecologia: (ii) fragmentação de habitat e respostas de comunidades ecológicas, (iii) distúrbios ambientais e distribuição espacial em sistemas ecológicos, (iv) teorias de comportamento e filogenia, e (v) relação entre ecossistemas e mudanças climáticas globais. Os eixos integradores do projeto são: (a) estudos epistemológicos, enfocando análise do conceito de biodiversidade e desenvolvimento de base para construção de modelos multiníveis; (b) modelagem de sistemas complexos, baseada em multi-agentes autônomos e redes complexas; © aproximação entre a ciência e prática. O grupo proponente prevê interação entre pesquisadores experientes (UFBA-Salvador e UEFS) com jovens pesquisadores (UESB e UFBA-Vitória da Conquista) e articulações do Núcleo com pesquisadores estrangeiros.

Participantes: Renata Pardini, e vários pesquisadores e estudantes da UFBA e outras universidades brasileiras e estrangeiras

*Em continuação a este projeto, foi submetida uma proposta à chamada INCT, intitulada “INCT em Estudos Interdisciplinares e Transdisciplinares em Ecologia e Evolução (IN‐TREE)”, no qual coordeno junco com Pedro Luis Bernardo da Rocha e Charbel El-Hani (UFBA) o projeto integrador “Aproximação entre ciência e prática na área ambiental e na construção de uma educação transformadora em ecologia e evolução”.

Participante: Diana Bertuol Garcia e vários pesquisadores e estudantes brasileiros e estrangeiros

2011 - Atual Respostas ecológicas e evolutivas à fragmentação da Mata Atlântica – PRONEX – Coordenação: Yuri Leite (UFES)

Resumo: O foco da presente proposta é a comparação das respostas da fauna à fragmentação da Mata Atlântica em diferentes escalas temporais e espaciais. O grupo de estudo escolhido para isso são os pequenos mamíferos não-voadores e a região de estudo é a Mata Atlântica, com ênfase nos estados do Espírito Santo, Minas Gerais e São Paulo. O principal objetivo é examinar a conexão entre processos ecológicos recentes ocorridos em uma escala geográfica local e eventos históricos ocorridos em uma escala regional. A Mata Atlântica sofreu um acelerado processo de fragmentação e perda de habitat nos últimos 500 anos e existem indícios de que ela também tenha sofrido retrações e fragmentações em função de mudanças climáticas cíclicas durante o Quaternário (últimos 2,588 milhões de anos). Esta proposta pretende testar a hipótese de que os requerimentos ecológicos das espécies definem não apenas as suas repostas locais a fragmentação atual da Mata Atlântica, mas também influenciam a dinâmica de suas distribuições geográficas, deixando uma assinatura na estruturação filogeografica de suas populações.

Participantes: Renata Pardini e vários estudantes e pesquisadores brasileiros e estrangeiros.

 
proj.txt · Last modified: 2015/01/23 11:30 by renata
 
RSS - 2007 © Designed by Oscar M. Lage - Userlinux HeadQuarters