A Serra do Cipó está situada no centro-sul de Minas Gerais, com paisagem predominantemente campestre, de grande beleza cênica. Seus típicos campos rupestres detêm flora muito rica em espécies peculiares e endêmicas, e estão inclusos no domínio do Cerrado. Grande parte dessa serra está atualmente protegida como Parque Nacional da Serra do Cipó, circundado pela Área de Proteção Ambiental do Morro da Pedreira.     

O projeto de levantamento da flora da Serra do Cipó foi idealizado e iniciado pelo Dr. Aylthon Brandão Joly, do IB-USP, em 1972, e culminou com a publicação de uma lista de cerca de 1600 espécies de plantas terrestres avasculares e vasculares em 1987. Prosseguiu nos anos seguintes sendo coordenado por docentes da USP, com colaboradores de várias outras instituições, e tem gerado até hoje muitas dissertações e teses, com numerosos artigos publicados. Destacam-se os tratamentos taxonômicos detalhados de famílias e grupos infrafamiliares cobrindo cerca de 80% da flora, já disponíveis no Boletim de Botânica da USP.

Esta página eletrônica apresenta a lista atualizada de táxons registrados na Serra do Cipó, grandemente enriquecida pelas explorações realizadas na região ao longo das últimas décadas e pelos estudos aprofundados, que incluem descoberta de espécies novas.

O número de espécies de Embriófitas (plantas terrestres) registrado na Serra do Cipó está na ordem de 3.299: 238 espécies pertencem a famílias de musgos, hepáticas e antóceros, 116 a famílias de licófitas e samambaias, 2 são gimnospermas e 2.949 são angiospermas.

 

Como citar:

Pirani, J.R.; Sano, P.T.; Mello-Silva, R.; Menezes, N.L.; Giulietti, A.M.; Zappi, D.C. & Jono, V.Y. (orgs.) Flora da Serra do Cipó, Minas Gerais (2015). Disponível em: http://www.ib.usp.br/botanica/serradocipo. Acesso em 1 de junho de 2015. 

 

Financiamento e subsídios:

CNPq, CAPES e FAPESP têm dado apoio continuado à realização de várias das etapas desse projeto de longa duração, por meio de auxílios à pesquisa e bolsas.

WWF forneceu auxílio vultoso à pesquisa entre 1984 e 1988.

ICMBio e diretoria do Parque Nacional da Serra do Cipó fornecem as autorizações e apoio logístico para desenvolvimento de pesquisas a campo.

SIBI-USP presta apoio permanente à publicação do Boletim de Botânica da USP, veículo principal da Flora da Serra do Cipó e estudos relacionados na região do Espinhaço.

IB-USP fornece infraestrutura física laboratorial e de herbário, bem como pessoal docente e de apoio, atuando em atividades do projeto.

Outras instituições colaboram com pesquisadores, docentes e alunos desenvolvendo estudos na região, principalmente:

Instituto de Botânica de São Paulo, SP

Instituto de Biologia da Unicamp, Campinas (SP)

Royal Botanic Gardens de Kew, Inglaterra.