Histórico, justificativa e objetivos

 

A Cidade Universitária Armando de Salles Oliveira, campus da Universidade de São Paulo (USP), contém uma importante área verde do município de São Paulo [1], além de abrigar um remanescente de floresta atlântica de planalto [2]. O campus também apresenta diversos espaços para prática de lazer, cultural e esportiva. 

Uma série de estudos reforçam a ideia de que a arborização, principalmente nos grandes centros urbanos, traz benefícios tanto do ponto de vista ecológico, como para saúde pública e para a identidade cultural de populações humanas [3], e que o conhecimento sobre as plantas altera a relação que se estabelece entre o ser humano e a natureza, o que ajuda na formação de uma postura sustentável. Entendemos e concordamos, então, que o emplacamento de plantas com informações úteis é uma poderosa ferramenta do ponto de vista de educação ambiental [1], e essa ação contribui também para a ocupação e manutenção dos espaços públicos e, no caso da USP, com a política de extensão, que é um dos pilares da Universidade.

A fim de que este projeto se expanda aos demais espaços da Universidade, pretendemos pouco a pouco emplacar os seus espaços verdes, começando essa jornada pelo Instituto de Matemática e Estatística (IME) e fitotério do Instituto de Biociências (IB). Vale ressaltar que “fitotério” é utilizado aqui como uma coleção de plantas vivas que se destina ao ensino e pesquisa de biologia e é diferente de um "jardim botânico" propriamente dito, que é uma coletânea de plantas dedicadas à exposição, coleção e cultivo, priorizando assim o valor estético das plantas [4].

 

Atividades realizadas           

 

O projeto envolve as seguintes atividades, que podem ou não ser organizadas em mutirões presenciais ou via colaboração online contínua e gradual: 

  • Saídas de campo para registro fotográfico;
  • Coleta de espécimes de plantas para identificação botânica e de georreferenciamento;
  • Levantamento bibliográfico sobre informações das plantas, como nome científico ou usos conhecidos;
  • Montagem de mapas e tabelas dos registros de ocorrência da planta com informações;
  • Montagem, programação e atualização do site e de seu conteúdo;
  • Montagem e diagramação das placas;
  • Recolocação de suportes e montagem final das placas físicas nos espaços;
  • Realização de questionários e estudos de percepção ambiental. 

Se você se interessou por pelo menos uma dessas funções, participe da construção do projeto! Qualquer dúvida, contate-nos.

Na foto: integrantes coletando espécime para identificação botânica. Foto por Gisele Alves.

 

 

 

 

 

Apoio

 

Referências utilizadas

  1. MENDONÇA, F.B. 2004. Árvores do Campus: levantamento florístico das angiospermas arbóreas da Cidade Universitária "Armando de Salles Oliveira". 2004. Dissertação de Mestrado, Pós-Graduação em Ciências Biológicas/ Botânica, Instituto de Biociências, Universidade de São Paulo, São Paulo.
  2. DISLICH, R. 2002. Análise da vegetação arbórea e conservação na Reserva Florestal da Cidade Universitária “Armando de Salles Oliveira”, São Paulo, SP. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo, São Paulo.
  3. SANTOS, N.R.Z.; TEIXEIRA, I.F. Arborização de Vias Públicas: Ambiente x vegetação. Clube da Árvore, Santa Cruz do Sul, 2001, 1 ed.
  4. KRAUS, J.E. Guia para o jardim do Departamento de Botânica do Instituto de Biociências da USP. 57p. Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo, São Paulo, 1994.