O DNA da habilidade esportiva

Em uma partida de futebol, não basta chutar bem em direção ao gol. Bons jogadores correm muito ao longo de toda a partida e percebem como os outros jogadores de seu time ou do time adversário estão distribuídos pelo campo. Além disso, enquanto correm com a bola, devem ser ágeis para desviar dos adversários e avaliar se chutam em direção ao gol ou passam a bola para um outro jogador. Essas habilidades envolvem o pleno funcionamento de inúmeros órgãos do nosso corpo. Olhos, pulmões, ossos, o coração, os músculos da perna e, principalmente, o cérebro devem funcionar muito bem para que esse superatleta consiga atingir o seu alvo: o gol.

Futebol, vôlei, natação, alpinismo, maratona etc., não importa a modalidade esportiva, todas elas exigem inúmeras características em um máximo de desempenho. Esse excelente desempenho esportivo está no DNA?

Por ser muito difícil estudar simultaneamente tantas características que resultam em um excelente jogador, os pesquisadores observam alguns aspectos separadamente. Por exemplo, ao analisarem o gene da proteína conversora de angiotensina (gene da ACE ou ECA), os pesquisadores perceberam que a maioria dos não atletas apresenta uma versão do gene diferente da apresentada pela maior parte dos maratonistas, pessoas que correm longas distâncias por longos períodos de tempo.

Em outro estudo, os pesquisadores analisaram outro gene, o da actina 3 (gene ACTN3), responsável pela produção de uma proteína importante para a contração muscular. Quando comparam atletas de explosão, ou seja, que correm muito rápido por um curto período de tempo, com pessoas que não são atletas, eles observam uma frequência mais elevada de uma versão específica do gene ACTN3 dentre a maior parte dos esportistas.

Não são essas versões campeãs dos genes ACE e ACTN3 que levam um atleta ao pódio. Além de uma alimentação adequada, esses atletas apresentam uma intensa rotina de treinamentos. Esses vários fatores ambientais, interagindo com as diversas variações genéticas, resultam na habilidade esportiva de uma pessoa. De qualquer modo, podemos afirmar que ser um excelente atleta é uma característica multifatorial e #estánoDNA.