Como o DNA pode determinar as características dos seres vivos?

Uma característica determinada por um gene

O DNA é uma molécula encontrada nas células de todos os seres vivos. Ela passa de uma geração para outra com as informações que determinam as características das espécies. Por exemplo, o seu tipo sanguíneo pode ser Rh positivo ou Rh negativo. Essa característica, o tipo sanguíneo, é determinada por um trecho do seu DNA conhecido como gene.

Todas as células do seu corpo possuem esse mesmo gene. Contudo, apenas as células que irão gerar os componentes do sangue utilizam esse trecho específico do DNA para construir proteínas. O gene seria a receita utilizada pela célula na produção de proteínas.

Se a receita que suas células possuem ensina a célula a construir uma proteína Rh, dizemos que você é Rh positivo. Se a receita que você possui não ensina a célula a construir essa proteína, dizemos que você é Rh negativo.

Dessa forma, podemos dizer que o tipo sanguíneo é uma característica genética, ou seja, é determinada por um gene. Por isso, é possível afirmar que o tipo sanguíneo #estánoDNA.

Uma característica determinada por dois genes

Algumas características são genéticas, mas não são determinadas por um único gene. Por exemplo, a cor da pelagem dos cães labradores é determinada por dois genes. Dessa forma, dois trechos diferentes do DNA são utilizados pelas células para a construção de proteínas que resultam nessa característica.

Um desses genes determina o tipo de pigmento que a célula produzirá: eumelanina ou feomelanina. O outro gene determina se esses pigmentos serão depositados nos pelos dos animais.

Dessa forma, ao observarmos um labrador com pelagem preta, podemos concluir que ele possui um trecho do DNA que faz com que a célula produza eumelanina e um outro trecho que ensina a célula a depositar esse pigmento nos pelos do animal.

Já um labrador chocolate possui um trecho de DNA que faz com que a célula produza feomelanina e outro trecho que ensina a célula a depositar esse pigmento nos pelos do animal.

Os labradores amarelos podem ter a receita para a feomelanina ou para a eumelanina, mas o que os torna amarelos é possuir a receita que impede a deposição do pigmento, seja ele qual for, nos pelos dos animais.

A coloração dos pelos dos labradores é uma característica genética, pois é determinada por genes. Contudo, essa característica não é determinada por um único gene. Ainda assim, podemos afirmar que a cor do labrador #estánoDNA.

Uma característica determinada por vários genes

Outras características dos seres vivos são determinadas por um conjunto de genes em interação com fatores ambientais. Esse é o caso, por exemplo, da produtividade de frutos do tomateiro.

Enquanto um gene ensina a célula a produzir maiores quantidades de vitamina E, outro trecho de DNA serve de receita para a célula produzir proteínas que transportam o açúcar das folhas para os frutos.

Além desses e de outros genes, a produtividade do tomateiro também é afetada por fatores ambientais, como a quantidade de luz, água e nutrientes disponíveis para a planta. Então, a produtividade de um tomateiro é multifatorial, pois é determinada geneticamente, mas também é afetada pelas condições ambientais. Dessa forma, podemos afirmar que a produtividade do tomateiro também #estánoDNA.