CHAVE TAXONÔMICA PARA AS FAMÍLIAS DE ABELHAS

Moure 1970

1. Palpos labiais com os dois primeiros segmentos alongado-achatados em forma de bainha, os dois distais faltando, ou juntos muito menores que o anterior; galea com a porção pospalpal grandemente alongada, em geral mais longa que a estipite; glossa alongada e pontuda, mais longa que o premento; coxas médias mais longas que dois terços da distância entre seu ponto superior e a base da asa
2
. Palpos labiais com os segmentos subcilíndricos, semelhantes entre si, os dois distais juntos mais longos que o anterior; galea com a porção pospapal bem mais curta que a estipite; glossa mais curta que o premento; parte exposta da coxa média muito mais curta que sua distância à base da asa
4
 
2. Labro mais longo que largo; suturas subantenais dirigidas para a margem interna do alvéolo antenal; duas células submarginais; escopa, quando presente, nos esternos metasomáticos
. Labro mais largo que longo; suturas subantenais dirigidas para a margem externa do alveolo antenal; duas ou três células submarginais (às vezes abertas); escopa, quando presente, nas tíbias posteriores
3
 
3. Tíbias posteriores das fêmeas formando uma corbícula (exceto em rainhas ou parasitas), a margem apical interna com um pente de cerdas duras: o rastelo; sem placa pigidial; comprimento dorsal da segunda submarginal quase duas vezes mais longo que a primeira Rs
. Tíbias posteriores das fêmeas com escopa formada de pilosidade especial (exceto em parasitas) e a margem apical interna das tíbias posteriores sem o pente de cerdas duras; geralmente com placa pigidial; comprimento da segunda célula submarginal mais curto que duas vezes que a primeira Rs
 
4. Glossa larga, de ápice truncado, bilobado ou bifido
. Glossa estreita, de ápice em ponta
5
 
5. Com duas suturas subantenais entre cada alvéolo e o clípeo, correspondente aos dois braços laterais do tentório; submento presente
. Com uma sutura subantenal entre cada alvéolo e o clípeo, correspondente ao único braço lateral do tentório; submento ausente

* Adaptada de: DUCKE, A. 1912. Die natuerlichen Biennengenera Suedamerikas. Zool. Jahrb., Abt. Syst., 34: 51-116. MICHENER, C. D. 1944. Comparative external morphology, phylogeny, and a classification of the bees. Bull. Amer. Mus. Nat. Hist., 82: 151-246. MICHENER, C. D. 1965. A classification of the bees of the Australian and South Pacific Regions. Bull. Amer. Mus. Nat. Hist., 130: 33. MOURE, J. S. 1946. Notas sobre as Mamangabas. Bol. Agrícola, Curitiba, Ano IV, nos. 12-13: 21-50.